Quero uma vida azul-piscina!

Quero uma vida azul-piscina!

Gosto de pensar assim: se a gente faz o que manda o coração, lá na frente, tudo se explica.

Gosto de pensar assim: se a gente faz o que manda o coração, lá na frente, tudo se explica.

Por ele eu vou até o Acre e me finjo de índia.

Por ele eu vou até o Acre e me finjo de índia.

Meu mundo

Meu mundo
Mundo

terça-feira, 31 de maio de 2011

XXVIII



A luz e o sangue.
A luz que é o céu do meu corpo
e o sangue
as manhãs em carne violenta
que são a terra do meu céu.
Boca de mitos.
O céu e a terra.
O céu que é a alma da terra
ou a matéria eterna
e a terra
estrelas de sangue
que são o corpo do céu
ou o espírito efémero.
O corpo e a alma.
O corpo que é a terra da alma.
A alma
a carne azul e imortal
que é o céu do corpo.
Eu e ela.
Eu que sou o mundo
a substância transitória
e ela que é a forma eterna.
Luz e sangue.
Céu e terra.
Corpo e alma.
Eu e ela.
Eu sou o corpo de terra do céu
a sombra de carne
da Via-Láctea.
Sou feito de estrelas vivas de sangue.
Sou o amanhecer do universo
a transparência do céu
a palavra
a fazer-se pasta seca de lama.
E ela
luz ausente
jóia de estrela
é a alma de luz da terra.
Céu e terra.
Terra que é sangue e corpo
mas corpo que encontro ao céu
e céu que é luz e alma
mas alma que encontro à terra.
Eu e ela.
Eu que sou já o céu
mas o céu verde e denso
e ela que é a terra
mas a terra azul e eterna
com flores de estrelas.
Há partes de mim que são dela
e há partes dela que são minhas.
A minha alma não é minha.
É dela.
O seu corpo não é dela.
É meu.
Eu sou o seu desejo
e ela é a minha saudade.
Ela é a noite original
a luz da treva
mas antes dela
existiu o meu sol
que anoiteceu saudoso da sua escuridão.
Ela é o canto inicial
mas antes dela
existiu a minha solidão
que chorou de saudades suas.
Dissolvido em trevas
eu amanheci com o seu desejo
arrefecendo em sangue e canto
a sua noite e o seu silêncio.



António Cândido Franco

Motivo




Eu canto porque o instante existe
e a minha vida está completa.
Não sou alegre nem sou triste:
sou poeta.

Irmão das coisas fugidias,
não sinto gozo nem tormento.
Atravesso noites e dias
no vento.

Se desmorono ou se edifico,
se permaneço ou me desfaço,
- não sei, não sei. Não sei se fico
ou passo.

Sei que canto. E a canção é tudo.
Tem sangue eterno a asa ritmada.
E um dia sei que estarei mudo:
- mais nada.

Cecília Meireles

quinta-feira, 26 de maio de 2011

LÍRIO




Lua de neve quebrada
em seis pedaços de seda.
Luz de Lua que se queda
em meio às folhas cravada.
Lua em seis raios cortada.
Luz em pétalas de alvura.
Sobre a rama verde-escura
cetim branco e perfumado.
Nácar de Lua rasgado
em seis raios de luz pura.

Rafaela Chacón Nardi


Doces Lembranças




E eu me lembrarei de você
com tanta doçura
que adoçarei todos os meus dias
E eu pronunciarei teu nome com
tanta ternura, que o meu coração
de rosas transbordará
Colherei essas rosas
Inundar-me-ei desse perfume
E devolverei a ti todas as manhãs.

Arnalda Rabelo

COISA DE POETA

Eu nunca brinco
com palavras
em poesia elas são
sempre exatas
.
todo poeta é um
deus escreve exatos
os sentimentos
mais tortos

Adair Carvalhais Júnior

Eu queria...

Eu te juro, queria ser o teu mais lindo sorriso
Ser este azul indefinido que existe no seu olhar
Ser a luz que faz brilhar os teus cabelos negros
Poder entrar em teus sonhos e deles participar.

Queria ser eu o teu mais lindo poema de amor
Se eu ar que você respira o pulsar de teu coração
Ser eu o personagem principal de tuas poesias
Dela ser todas as rimas e tuas belas fantasias
Ser este amor que descreve com tanta paixão.

Ah, como eu queria ser este papel que escreves
Para ficar eternizado em mim as tuas emoções.


-Joe Luigi-

Final


Só na velhice a mesa fica repleta de ausências.
Chego ao fim, uma corda que aprende seu limite
após arrebentar-se em música.
Creio na cerração das manhãs.
Conforto-me em ser apenas homem.

Envelheci,
tenho muita infância pela frente.

Fabrício Carpinejar

segunda-feira, 16 de maio de 2011

O Canto do Sabiá



Vem...

Percebes que o canto do Sabiá
é mais lindo agora...???
Ouças, preste atenção no idílico momento,
sem espanto...!!!
Repares nas pausas simétricas,
Oníricos encantos...!!!

Sáibas meu grande amor,
é prá ti meu acalento...!!!
Venhas, aninhe-se em meu leito,
Deita as tuas tristezas em meu peito
E sejas a paz de um amor sem defeitos...

Vem,
Vem gozar esta vida direito,
olha meu amor, os lençois que tu pediste,
São de sêda pura, para o nosso deleite...!!!
Veja as pétalas de rosas vermelha no cetin,
São prá ornar nossos corpos em raros efeitos...

Vem,
Envolva-me em teus braços num tenro abraço,
deixa fluir o imaginário dos teus têrmos,
embriagando-me em delírios suspensos,
nos misteriosos idos dos teus êrmos...

Vem,
Entra mais um pouco, já me sinto quase louca,
No ápice das meretrizes... Escancaras minhas entranhas...
Vem...!!!
Deixa teu sumo da vida em mim... Beija minha boca...!!!
Quero gemidos inespremíveis... que se explodem
no horizonte eterno do nosso leito em desordem,
Que se arrefeça no lânguido epíteto de minhas manhas...

Ouças amor... O lindo canto do Sabiá...!!!

J.Augusto. 20/05/2008

sábado, 14 de maio de 2011

Carta enviada de uma mãe para outra mãe em SP, após noticiário na tv



Vi seu enérgico protesto diante das câmeras de televisão contra a transferência do seu filho, menor infrator, das dependências da FEBEM em São Paulo para outra dependência da FEBEM no interior do Estado. Vi você se queixando da distância que agora a separa do seu filho, das dificuldades e das despesas que passou a ter para visitá-lo, bem como de outros inconvenientes decorrentes daquela transferência.
Vi também toda a cobertura que a mídia deu para o fato, assim como vi que não só você, mas igualmente outras mães na mesma situação que você, contam com o apoio de Comissões Pastorais, Órgãos e Entidades de Defesa de Direitos Humanos, ONGs, etc…
Eu também sou mãe e, assim, bem posso compreender o seu protesto, quero com ele fazer coro, enorme é a distância que me separa do meu filho, trabalhando e ganhando pouco, idênticas são as dificuldades e as despesas que tenho para visitá-lo.
Com muito sacrifício, só posso fazê-lo aos domingos porque labuto, inclusive aos sábados, para auxiliar no sustento e educação do resto da família.
Felizmente conto com o meu inseparável companheiro, que desempenha, para mim, importante papel de amigo e conselheiro espiritual.
Se você ainda não sabe, sou a mãe daquele jovem que o seu filho matou estupidamente num assalto a uma vídeo locadora, onde ele, meu filho, trabalhava durante o dia para pagar os estudos à noite.
No próximo domingo, quando você estiver abraçando, beijando e fazendo carícias no seu filho, eu estarei visitando o meu e depositando flores no seu humilde túmulo, num cemitério da periferia de São Paulo…
Ah! Ia me esquecendo: e também ganhando pouco e sustentando a casa, pode ficar tranqüila, viu? que eu estarei pagando de novo, o colchão que seu querido filho queimou lá na última rebelião da FEBEM.
Nem no cemitério, nem na minha casa, NUNCA apareceu nenhum representante destas ‘Entidades’ que tanto lhe confortam, para me dar uma palavra de conforto, e talvez me indicar ‘Os meus direitos`.

(Desconheço nome de quem escreveu a carta)

terça-feira, 10 de maio de 2011

Portas



Quantas portas eu ainda terei de atravessar
Para entender a humanidade?!
São tantas coisas inacreditáveis e doídas
Que me esforço para sempre ser feliz e sorrir.
Pois das lágrimas, a vida e as pessoas
Se encarregam por mim.

Joe Luigi

sábado, 7 de maio de 2011

A você,
Mãe jovem,
Mãe velhinha,
Mãe rica ou pobrezinha.


A você,
Mãe solteira,
Mãe sozinha,
Mãe de um ou mãe de muitos,
Mãe do filho que não veio,
Mãe do filho que já se foi.


A você,
Mãe preta,
Mãe indígena
Mãe branquinha,
Mãe corajosa, que educa seus filhos.
Todos os dias, a todo o momento.
Mãe que às vezes ri e que às vezes chora...
Mãe que às vezes fala e às vezes cala...


A você,
Mãe que estimamos,
Mãe que desconhecemos,
Mãe do filho que não é seu,
Mãe - Dindinha, Mãe - Titia.


A você,
Princípio de todo amor,
esta mensagem
Com muito carinho.


Feliz Dia das Mães

sexta-feira, 6 de maio de 2011

Um Rato fala com Deus...

"De vez em quando sinto-me triste:
Tens tempo para brincar um pouco comigo?
Se vieres, não batas à porta: ela está sempre aberta.
Corremos juntos sem nos ralarmos com o gato... (...)
Hoje perdi-me num campo de trigo. Chorei de medo
no meio dos restolhos gigantescos. Eles, porém,
compreenderam aquela pequena fraqueza. "Chora pois
− disseram-me − é melhor chorar
do que ficar com um nó na garganta. "(...)"

(in "Um Rato Fala Com Deus")

domingo, 1 de maio de 2011

Reconstituição

Tive de repente
saudade da bebida que eu estava bebendo...
tive saudade e tentei me lembrar que gosto faltava,
qual era a bebida...
Fui procurando entre copos e móveis
e dei com sua boca.

A saudade era dela
A bebida era o beijo.



Elisa Lucinda

IMAGINE...









IMAGINE...

(...)
"Imaginar que os sonhos sejam reais
materializáveis, sem impedimentos.
Que se podem sentir gozos celestiais
após nos libertarmos dos sofrimentos.

Imaginar um universo só de paz
que faça sorrir sempre a criança.
Imaginar que o homem seja capaz
de manter muito viva a esperança.

Construindo-se as mentais imagens
trabalha-se com a positiva energia
criando-se as desejadas miragens
que dão leveza à existência, dia a dia!
(...)"

Guida Linhares

Poema Desenhado



No meio da página escrevo ao acaso a palavra "menina"
e à sua magia, um caminho abre-se
para ela andar.
E como houvesse brotado aos seus pés um arroio espiador
uma ponte estendeu-se
para ela atravessar.
Mas a menina
agora parou
e do meio da ponte namora
encantadamente nas águas
a graça inacabada de seu pequenino rosto
feito às pressas.
Às pressas...
(nem tive tempo de lhe dar um nome)
A vida é assim,meninazinha sem nome...
A vida nem dá tempo para a vida!
.
Mário Quintana